Uma pesquisa realizada pelo IBOPE Inteligência (Instituto Brasileiro de Opinião Pública  e Estatística) em abril deste ano revelou que 14 a cada 100 pessoas se declaram vegetarianas no Brasil. O número que representa quase 30 milhões de pessoas mostra como o grupo com essa opção alimentar aumentou em relação a 2012, quando a mesma pesquisa foi realizada e contabilizou 8% da população como vegetariana. Nas regiões metropolitanas de Curitiba, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo o número é ainda maior e chega a 16% de vegetarianos.

A pesquisa apontou também um rápido aumento no interesse da população por produtos veganos, que são aqueles que não possui nenhum ingrediente de origem animal em sua composição. Dos entrevistados pela pesquisa, 55% disse que consumiria mais produtos veganos se estivessem melhor indicados na embalagem e 60% teriam mais interesse se o valor dos produtos fossem iguais aos dos que estão acostumados a consumir.

Esses dados impressionam e mostram que o índice nacional acompanha a tendência de outros países de adotar uma dieta mais saudável, sustentável e ética. É possível perceber também o aumento na preocupação com a fonte dos alimentos. Recentemente, uma pesquisa inédita sobre a distribuição de vida no planeta mostrou que 60% dos mamíferos da Terra, majoritariamente bovinos e suínos, estão em regime de pecuária sob supervisão humana, tanto como alimentos quanto para outros tipos de usufruto. E considerado que os seres humanos somam apenas 36% dos mamíferos, o resultado revela que há mesmo que se fazer uma reflexão sobre este cenário.

Consumo de carnes

A OMS (Organização Mundial da Saúde) é contundente sobre os riscos de consumo elevado de carnes vermelhas e processadas e sua possível relação doenças como câncer colorretal. A organização esclareceu, no entanto, que não há necessidade para exclusão de alimentos derivados de carne, contanto que haja um consumo controlado e dentro de uma dieta balanceada, que no geral é tida como saudável.

Numa pesquisa de 2017, o Datafolha mostrou que 63% dos brasileiros queriam reduzir o consumo de carnes. A pesquisa recente do IBOPE estimou que há grande oportunidade no mercado nacional para investimentos em produtos no setor de proteínas vegetais e de substitutos às carnes, leite e ovos. Já no âmbito internacional, alguns nomes famosos também investem nessa área. Bill Gates, Richard Branson (da Virgin) e Sergey Brin (do Google) estão apostando no crescimento desse setor.