Uma região nos Estados Unidos chamada de Nova Inglaterra é hoje rica em arborização, graças às florestas que se regeneraram nos últimos 150 anos. No entanto, um estudo da Harvard Forest mostrou que o local, que compreende os estados de Connecticut, Maine, Massachusetts, Nova Hampshire, Rhode Island, Vermont, corre o risco de perder suas áreas verdes por falta de investimento.   

Segundo o relatório da instituição, a Nova Inglaterra agora está perdendo 26 hectares de floresta e isso se deve ao financiamento da conservação da terra, que caiu 50% desde 2008. O “desenvolvimento” não sustentável também contribui para esta situação, além do fato da área cultivada anualmente ter reduzido mais de seis vezes desde o início dos anos 2000, de 333 mil hectares por ano para cerca de 50 mil hectares por ano desde 2010.

“A cobertura da floresta máxima acabou na Nova Inglaterra”, afirma Jonathan Thompson, cientista sênior da Harvard Forest e um dos autores do estudo. “Por mais de 150 anos, as florestas expandiram-se e se recuperaram. Essa história é como ganhamos o status como uma das regiões mais povoadas e mais florestadas do mundo “.

De acordo com Thompson, se as taxas atuais se manterem, a Nova Inglaterra perderá mais 1,2 milhão de acres até o ano 2060. Apesar das más notícias apontadas no documento, há otimismo. A região tem uma longa história de apoio à conservação da terra e nos últimos anos as parcerias regionais de conservação se multiplicaram. O relatório sugere agora triplicar os esforços de conservação em toda a região, tanto para conservar alguns locais como utilizar outros recursos, mas de maneira sustentável.

Redação CicloVivo