Alvo de caçadores em busca de marfim, os elefantes africanos estão extremamente vulneráveis. A população é reduzida diariamente e, conforme dados mais recentes de monitoramento da espécie, a situação é muito pior do que se imaginava. Apenas entre 2007 e 2014 o número de elefantes no continente despencou 30%.

Para conseguir mensurar de forma mais efetiva a quantidade de elefantes na Savana Africana, os pesquisadores da organização Elefantes Sem Fronteiras criaram o “Grande Censo de Elefantes” (GEC). O projeto usa aviões para identificar com mais precisão a localidade e quantidade de elefantes na natureza.

Antes deste sistema, segundo os responsáveis pelo projeto, os registros eram feitos quase que por adivinhação. Mas, ao longo dos últimos dois anos, uma equipe formada por 90 cientistas e 286 tripulantes, já somaram mais de dez mil horas de voo sobre 18 países africanos em busca de elefantes.

Foto: Elephants Without Borders
Foto: Elephants Without Borders

Os cientistas estimam que, antes da colonização europeia, o continente africano abrigava mais de 20 milhões de elefantes. Em 1979 o número já havia caído para 1,3 milhões e hoje a situação é ainda mais crítica, com apenas 352.271 exemplares registrados, conforme estudo publicado na revista científica PeerJ. Apenas entre 2007 e 2014, 144 mil elefantes foram mortos.

Foto: Elephants Without Borders
Foto: Elephants Without Borders

O principal motivo para a devastação desta espécie é a caça e a busca os exploradores por marfim. Os repórteres da CNN David McKenzie e Ingrid Formanek, enviados à Botsuana para conhece o projeto de pesquisa, registraram 20 elefantes mortos em apenas dois dias na área em que estavam. Essa é apenas uma demonstração do tamanho do problema e da velocidade com que ele está crescendo.

Em alguns locais a situação é tão triste que os animais já foram praticamente extintos. No Babible Elephant Santuary, na Etiópia, por exemplo, o monitoramento encontrou apenas uma manada com 36 elefantes, mesmo que o local seja considerado um santuário animal.

Foto: ReporterRuthie/Flickr
Foto: ReporterRuthie/Flickr

De acordo com as pesquisas a taxa atual de declínio da espécie é de 8%. Isso significa que o número de elefantes poderia ser reduzido pela metade em apenas nove anos. Segundo o estudo, a extinção localizada já é praticamente certa.

Foto: Skip Russell/Flickr
Foto: Skip Russell/Flickr

Redação CicloVivo