Com a crise hídrica, que atingiu especialmente a região sudeste, aumentou o aproveitamento da água da chuva nas residências. Diversas tecnologias e cursos surgem para estimular essa captação. Mas, o professor de hidrologia da USP, Ivanildo Hespanhol, explica que é preciso ter certos cuidados.

Apesar de poder ajudar muito nas tarefas do dia a dia, a água da chuva não é própria para consumo humano. A água que cai no telhado, passa pela calha até ir para o recipiente de armazenamento. O problema é que nos telhados há diversas impurezas, que podem causar problemas de saúde, se ingeridas.

Hespanhol explica que essa água pode conter coliformes, metais pesados, resíduos de gasolina e álcool, entre outros perigos. Algumas pessoas então fervem a água captada, mas o professor afirma que isso elimina os organismos patogênicos, mas os químicos continuam presentes.

Sobre o armazenamento, ele recomenda que a água seja coletada em um tambor de polietileno e usada rapidamente. Hespanhol ainda lembra que é importante manter o recipiente fechado, pois com a incidência de luz começa a desenvolver alga, dentre outros contaminantes.

Confira o vídeo:

O armazenamento também é importante para evitar a proliferação do mosquito da dengue. Segundo o ministro da Saúde, Arthur Chioro, só nos dois primeiros meses deste ano já houve aumento de 139% nos casos notificados, em relação ao mesmo período do ano passado. Em janeiro e fevereiro de 2015, foram 174,67 mil registros.

Redação CicloVivo

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.