Para facilitar o cadastramento de árvores, a Secretaria de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal (Sema) estuda a criação de aplicativo para registro de informações sobre espécies de árvores existentes na arborização urbana. A expectativa é que, se o estudo for positivo, o software fique pronto no segundo semestre deste ano.

O sistema, em fase de estudo, faz parte do Plano Diretor de Arborização, exigido pelo Ministério Público e iniciado em março do ano passado. O cadastramento é o processo mais demorado do projeto e com o uso do aplicativo será possível mapear a arborização urbana em algumas regiões da cidade, com informações como coordenadas geográficas e estado da árvore.

O engenheiro florestal da Sema, Maurício Sampaio, explica que o mapeamento já é realizado sem o aplicativo. “Usamos imagens em alta resolução. Já mapeamos a Zona 1, 2 e 3 e está em fase de análise a Zona 4 e 5”, comenta. “O aplicativo é uma ferramenta a mais para ajudar a Sema nesse cadastro”, acrescenta.

Plano Diretor de Arborização

Além do cadastro, o Plano Diretor de Arborização é responsável por diagnosticar a situação das árvores e gerar um planejamento para os próximos 30 anos. “Queremos criar um banco de dados com informações de todas as árvores da arborização urbana de Maringá. As solicitações feitas pelo 156, de poda ou remoção, por exemplo, deverão ser registadas no nosso sistema para termos esse controle”, diz Sampaio.

A partir do projeto, Maringá terá árvores bem manejadas, evitando quedas, problemas na rede de energia e riscos atuais e futuros relacionados ao meio ambiente, além de garantir a conservação da biodiversidade.

A arborização está associada ao equilíbrio da temperatura na zona urbano, interações humanas, controle da velocidade do vento, conservação das calçadas, permeabilidade do solo e importância histórica cultural.

“São essenciais para a qualidade de vida. Quanto mais arborizada a cidade, melhor. Em Maringá, as árvores já viraram referência e as pessoas reconhecem a cidade por conta da arborização”, observa. O último levantamento, em 2006, estimou a existência de 130 mil árvores em Maringá.

Essa não é a primeira vez que Maringá inova na área ambiental, a cidade também possui 37 hortas comunitárias que são mantidas por 899 famílias de baixa renda.

A notícia é da Prefeitura de Maringá.