A prefeitura de São Paulo está implementando uma política pública permanente de descarte correto do chamado e-lixo. A parceria é feita com o Movimento Greenk, criado para conscientizar e mobilizar a população sobre o descarte correto de lixo eletrônico.

Computadores, smartphones, tablets, fios, baterias, carregadores. Todos os materiais coletados serão enviados aos Centros de Recondicionamento de Computadores (CRCs), que integram programa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.

Já os computadores em condições de uso serão destinados a projetos de inclusão digital em escolas públicas. Os demais resíduos serão descartados de forma ambientalmente correta, conforme normas de logística reversa.

A instalação dos 15 postos de coleta, sendo 14 em parques municipais e um na sede da prefeitura, será integralmente patrocinada pelo Principado de Mônaco. O investimento será de R$ 200 mil. O coletor do e-lixo é fabricado em aço, metais e plásticos reciclados, oferecendo resistência às intempéries. Isso é importante porque estará exposto ao sol e à chuva nos parques públicos.

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) situam o Brasil na segunda colocação, em um ranking dos países das Américas, na produção de e-lixo, só perdendo para os Estados Unidos. É também o sétimo maior do mundo. O empenho da SVMA na ação é conscientizar os munícipes quanto aos riscos que os elementos químicos contidos no lixo eletrônico causam ao meio ambiente. Altamente tóxicos, alumínio, mercúrio, brumo, chumbo e cloro, se despejados sem critério na natureza, contaminam o lençol freático.

Pontos de coleta

Foto: iStock bt Getty Images

O plano de cooperação prevê o projeto de implantação e operação de 15 pontos de coleta de lixo eletrônico por um ano.

Um dos pontos de coleta estará na sede da Prefeitura, no Viaduto do Chá; os demais serão instalados nos seguintes parques municipais:

1) Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral, s/n

2) Parque Trianon – Rua Peixoto Gomide, 949

3) Parque Prefeito Mario Covas – Avenida Paulista, 1853

4) Parque da Independência – Avenida Nazareth, s/n

5) Parque do Cordeiro Martin Luther King – Rua Breves, 968

6) Parque Lina e Paulo Raia – Rua Volkswagen, s/n

7) Parque Buenos Aires – Av Angélica, 1.500

8) Parque do Povo – Av. Henrique Chamma, 420

9) Parque da Aclimação – Rua Muniz de Souza, 1.119

10) Parque Burle Marx – Av. D Helena Pereira de Moraes, 200

11) Parque Esportivo do Trabalhador – R. Canuto Abreu, s/n

12) Parque Piqueri – R. Tuiuti, 515

13) Parque do Carmo – Av. Afonso de Sampaio e Sousa, 951 – Itaquera

14) Parque Vila Guilherme /Trote – Rua São Quirino, 905

Greenk

O Movimento Greenk foi pensado para conscientizar e mobilizar a sociedade para a correta destinação aos eletrônicos da linha verde. O nome é uma junção das expressões geek (apaixonado por tecnologia) + green (verde e meio ambiente), que os motiva a incentivar o descarte correto desse tipo de material.

O Brasil produz, atualmente, mais de 1,5 mil toneladas de lixo eletrônico por ano, descartando corretamente menos de 3% desse total. O México já descarta mais de 35% e a Noruega, que lidera esse ranking, descarta corretamente 74% do seu e-lixo. Em junho de 2017, durante a 1ª edição de seu Greenk Tech Show, foram arrecadadas 2,7 toneladas de e-lixo em três dias de evento. A expectativa da segunda edição é ainda mais ambiciosa: recolher 10 toneladas.

Mônaco

Destino procurado por seus museus, opções esportivas, vida noturna agitada e monumentos, como a Catedral, o Palácio Principesco e o famoso Cassino e Ópera de Monte-Carlo, Mônaco é uma cidade-estado soberana, situada ao sul da França. O principado tem investido em ações sustentáveis desse tipo. Por seu engajamento ambiental, o escritório de turismo está apoiando esta iniciativa em São Paulo.

As informações são da Prefeitura de São Paulo