A Califórnia acabou de se tornar o primeiro estado dos Estados Unidos a exigir energia solar para novas casas. Ontem, a Comissão de Energia da Califórnia aprovou por unanimidade os novos padrões de construção, que entrarão em vigor em 1º de janeiro de 2020.

Casas construídas após esta data terão que ser equipadas com sistemas de energia solar. Segundo a Comissão de Energia da Califórnia, os requisitos “aumentarão os custos de construção de uma nova casa em cerca de US $ 9.500 dólares, mas economizarão US $ 19.000 dólares em custos de energia e manutenção ao longo de 30 anos”.

De acordo com a comissão, os chamados “Building Efficiency Standards” (Padrões de Eficiência na Construção), também beneficiam os clientes. “Qualquer quantia adicional na hipoteca é mais do que compensada. É bom para o cliente,” afirma Andrew McAllister, membro da comissão ao New York Times.

Emissões de CO2

Com a nova medida, o estado da Califórnia pode reduzir suas emissões consideravelmente. Segundo cálculos divulgados à imprensa, ela seria equivalente a retirada de cerca de 115 mil carros movidos a combustíveis fósseis das ruas.

Residências eficientes

Além da energia solar residencial, as normas também contemplam outros aspectos passivos da construção, como o isolamento térmico (que restringe as trocas de calor do interior para o exterior e vice-versa), a ventilação e a iluminação natural. Assim, a nova residência será construída de forma eficiente do ponto de vista energético, diminuindo o uso desnecessário de ar-condicionado, aquecedores e iluminação. Além disso, essas soluções também são muito benéficas para a saúde e bem estar de seus moradores.

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.