Se você está cansado(a) de ouvir notícias tristes sobre a África, esta vai te ajudar. Cabo Verde, o pequeno país da ilha do arquipélago, estabeleceu uma grande meta sustentável: fornecer somente energia de fontes renováveis aos moradores até 2025.

Como é comum em muitos países africanos, e até aqui no Brasil, cerca de um terço da população ainda usa lenha e carvão para cozinhar. Os preços ainda são altos, mas segundo um artigo do professor Erik Nordman, da Grand Valley State University (EUA), quase todos os 550 mil habitantes das ilhas têm acesso à eletricidade.

Uma grande aposta é a energia eólica. Como os ventos são muito fortes, três das ilhas, incluindo as duas mais populosas, produzem cerca de 25% de sua eletricidade a partir de turbinas eólicas. Hoje a maior dificuldade é armazenar a energia gerada.

Também, segundo Nordman, outra tecnologia que poderia ser integrada na geração de eletricidade é o sistema de dessalinização do país. Isso porque muitas comunidades de Cabo Verde dependem de água potável e tais sistemas podem ser executados enquanto as turbinas eólicas estão operando. A água dessalinizada ainda poderia ser bombeada para um reservatório de alta elevação e usada para gerar energia hidrelétrica.

Além disso, há muito potencial solar, que hoje é mais que o dobro da capacidade de geração elétrica atualmente instalada. Outra particularidade é que, sendo um arquipélago vulcânico, Cabo Verde ainda pode investir em energia geotérmica – que aproveita o calor da Terra. Enfim, possibilidades não faltam para o país investir em energias renováveis.

Redação CicloVivo