50.000 casas no sul da Austrália em breve receberão painéis solares e baterias da Tesla como parte de um plano inovador para transformar casas em geradores de energia conectados à rede. A colaboração entre o estado da Austrália do Sul e a Tesla vai criar um sistema de energia interligado em que as casas possam compartilhar energia através de um sistema de rede inteligente. As casas selecionadas receberão painéis solares e baterias recarregáveis ​​gratuitamente. O projeto será financiado pela venda do excedente de energia produzido pelas residências.

Inicialmente, 1.100 residências populares receberão o sistema, em sua fase de testes um sistema de painel solar e bateria de 5kW. Após os testes, serão instalados mais 24.000 sistemas, também em habitações populares. Outras casas serão aceitas nos próximos quatro anos.

Cada residência poderá produzir 250 megawatts de energia solar e armazenar em baterias de 650 megawatts-hora. O potencial de energia limpa das 50.000 casas juntas pode ser comparado ao de uma usina de carvão.

Super baterias Tesla Powerpack

Esta é mais uma iniciativa de energia renovável que o estado da Austrália do Sul assumiu após um apagão em todo o estado em 2016. Em dezembro de 2017, a Tesla instalou a maior bateria do mundo, a Tesla Powerpack, junto a um parque eólico do estado. O sistema é o maior projeto de armazenamento de bateria de íon-lítio no mundo e fornece energia suficiente para mais de 30 mil lares. (saiba mais)

“Meu governo já entregou a maior bateria do mundo, agora vamos entregar o maior planta de energia virtual”, disse o primeiro-ministro do estado, Jay Weatherill, em um comunicado. “Usaremos as casas das pessoas como forma de gerar energia para a rede da Austrália do Sul, com as famílias participantes se beneficiando de economias significativas em suas contas de energia”.

Atualmente, as alternativas “limpas” compõem 17,2% de toda a eletricidade gerada na Austrália, sendo hidrelétrica, eólica e solar. O país espera alcançar sua meta de obter 20% da energia total de fontes renováveis até o final de 2018. (saiba mais)

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.