Uma transição global para a eletricidade 100% renovável não é uma visão de longo prazo, mas já uma realidade tangível, de acordo com um novo estudo da Universidade de Tecnologia Lappeenranta (LUT) e do Grupo Energy Watch (EWG). A pesquisa foi lançada nesta quarta-feira (8) durante um evento de energia renovável que acontece em paralelo à Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas – a COP23, em Bonn (Alemanha).

Os resultados do estudo são reveladores: um sistema elétrico global totalmente baseado em energia renovável é viável a cada hora ao longo do ano e é mais rentável do que o sistema existente, que é amplamente baseado em combustíveis fósseis e energia nuclear.

O potencial e as tecnologias de energias renováveis existentes, incluindo o armazenamento, podem gerar energia suficiente e segura para cobrir toda a demanda global de eletricidade até 2050. O custo total nivelado de eletricidade (levelised cost of electricity-LCOE) em uma média global de energia 100% renovável em 2050 é de € 52 / MWh (incluindo redução, armazenamento e alguns custos de grade) em comparação com € 70 / MWh em 2015.

“Uma descarbonização total do sistema elétrico até 2050 é possível a um custo o menor do sistema do que hoje com base na tecnologia disponível. A transição energética não é mais uma questão de viabilidade técnica ou econômica, mas de vontade política”, afirmou Christian Breyer, principal autor do estudo, professor de Economia Solar na LUT e Presidente do Conselho Científico do EWG.

Uma transição para 100% de fontes renováveis traria as emissões de gases de efeito estufa no setor elétrico até zero e reduzirá drasticamente as perdas totais na geração de energia. Elas criariam 36 milhões de empregos até 2050, 17 milhões a mais do que hoje.

“Não há motivo para investir mais um dólar na produção de energia fóssil ou nuclear”, disse o presidente do EWG, Hans-Josef Fell. “A energia renovável permite a oferta de energia a um custo eficiente. Todos os planos para uma nova expansão do carvão, nuclear, gás e petróleo devem ser interrompidos. Mais investimentos precisam ser canalizados em energias renováveis e na infra-estrutura necessária para armazenamento e grades. Tudo o resto levará a custos desnecessários e ao aumento do aquecimento global”.

As principais descobertas do estudo:

– O potencial de energia renovável existente e as tecnologias, incluindo o armazenamento, podem gerar energia suficiente e segura para cobrir toda a demanda global de eletricidade até 2050. Espera-se que a população mundial cresça de 7,3 para 9,7 bilhões. A demanda global de eletricidade para o setor de energia deve aumentar de 24.310 TWh em 2015 para cerca de 48.800 TWh até 2050.

– O custo total nivelado de eletricidade (LCOE) em uma média global de energia 100% renovável em 2050 é de € 52 / MWh (incluindo redução, armazenamento e alguns custos de grade), em comparação com € 70 / MWh em 2015.

– Devido à queda rápida dos custos, a energia solar fotovoltaica e o armazenamento de baterias devem cada vez mais conduzir a maior parte do sistema elétrico, com a energia solar fotovoltaica atingindo cerca de 69%, energia eólica 18%, hidrelétrica 8% e bioenergia 2% da mistura elétrica total em 2050 globalmente.

– A energia eólica aumenta para 32% até 2030. Depois de 2030 a energia solar fotovoltaica torna-se mais competitiva. A oferta de energia solar fotovoltaica sobe de 37% em 2030 para cerca de 69% em 2050.

– As baterias são a principal tecnologia de apoio para a energia solar fotovoltaica. A produção de armazenamento abrange 31% da demanda total em 2050, dos quais 95% são cobertos apenas por baterias. O armazenamento de bateria fornece principalmente armazenamento diurno, e o gás à base de energia renovável fornece armazenamento sazonal.

– As emissões globais de gases de efeito estufa são significativamente reduzidas – de cerca de 11 GtCO2eq em 2015 para zero emissões em 2050 ou mais cedo, já que o LCOE total do sistema de energia diminui.

– A transição energética global para um sistema elétrico 100% renovável cria 36 milhões de empregos em 2050 em comparação com 19 milhões de empregos no sistema elétrico de 2015.

– As perdas totais em um sistema elétrico 100% renovável são cerca de 26% da demanda total de eletricidade, em comparação com o sistema atual em que cerca de 58% da entrada de energia primária é perdida.

O estudo “Sistema de energia global baseado em energia 100% renovável – Setor de energia” terá grandes implicações para políticos e elaboradores de políticas públicas em todo o mundo, pois refuta um argumento frequentemente usado por críticos de que as fontes renováveis não conseguem atender todo o fornecimento de energia numa base horária.

A primeira de sua modelagem, desenvolvida pela LUT, calcula a combinação custo-ótimo das tecnologias baseadas em fontes de energia renováveis localmente disponíveis para o mundo estruturado em 145 regiões e calcula a via de transição de energia mais econômica para fornecimento de eletricidade em uma resolução por hora durante todo um ano de referência. O cenário global de transição de energia é realizado em períodos de 5 anos a partir de 2015 até 2050. Os resultados são agregados em nove principais regiões do mundo: Europa, Eurasia, MENA, África Subsaariana, SAARC, Ásia do Nordeste, Sudeste Asiático, América do Norte e América do Sul.

O estudo é co-financiado pela Fundação Federal Alemã para o Meio Ambiente (DBU) e pela Stiftung Mercator. Veja o documento completo aqui.