A França anunciou no último domingo (12) que planeja tornar as garrafas e embalagens feitas com plástico reciclado mais baratas que as feitas de plástico virgem. A iniciativa seria parte de um plano maior para intensificar as regulamentações sobre o uso de plástico, que também incluem o aumento de impostos sobre aterros e redução do imposto sobre valor agregado em atividades de reciclagem.

“Declarar guerra ao plástico não é suficiente. Precisamos transformar a economia francesa”, disse a Ministra Júnior do Meio Ambiente, Brune Poirson, ao jornal francês Le Journal du Dimanche. De acordo com Poirson, o governo francês vai introduzir mais medidas específicas para resolver o problema da poluição por plásticos. “Estamos lançando um movimento que será analisado e seguido pelos nossos parceiros europeus.”

Parte desse movimento é um plano para reduzir o preço dos produtos embalados em contêineres reciclados em até 10%. O sistema de desconto-prêmio incentiva seus consumidores a reciclar, tornando a sustentabilidade a opção mais acessível. “Amanhã, quando houver a escolha entre duas garrafas, uma feita com plástico reciclado, a outra não, a primeira será mais barata”, afirmou Poiron.

Segundo dados publicados pela Reuters, atualmente a França recicla apenas 25,5% de seus resíduos de embalagens de plástico, ficando com a segunda pior taxa de reciclagem da Europa. A Alemanha e a Holanda reciclam cerca de 50% de seus resíduos plásticos. No entanto, o governo francês de Emmanuel Macron planeja mudar sua taxa de reciclagem de plástico para 100% até o ano de 2025, com o recente anúncio marcando os primeiros passos em direção a essa meta.

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.