Os vereadores do Rio de Janeiro votaram na última quinta-feira, (7), para a aprovação do projeto de lei que que obriga estabelecimentos comerciais da cidade a usar canudos de papel biodegradável. A lei, que punirá em R$3 mil reais quem a descumprir, podendo dobrar o valor em caso de reincidência, segue agora para sanção ou veto do prefeito Marcelo Crivella.

A ONG Meu Rio havia criado uma petição na internet para pressionar os vereadores a votar a favor do texto e conseguiu mais 4.500 assinaturas. O projeto teve sua primeira votação na quarta-feira, e só um dos vereadores da casa votou contra, e então, em segunda votação na câmara na quinta-feira, o texto foi aprovado.

De acordo com o texto do projeto de lei, os canudos utilizados nos bares, restaurantes, quiosques e lanchonetes do Rio devem ser feitos de papel biodegradável ou material reciclável. A embalagem dos canudos também serão feitos de papel.

Se a lei for aprovada por Crivella, o Rio passará a ser a primeira cidade do país a banir os canudos descartáveis de plástico.

Proibição de descartáveis pelo mundo

Outros países também estão desenvolvendo políticas internas para lidar com o volume de lixo descartável que produzem. Vancouver, capital do Canadá, aprovou uma lei de banimento para canudos e embalagens descartáveis que entrará em vigor em 2019.

Já a capital da Bélgica apresentou à União Europeia uma proposta de proibição de venda de descartáveis de plástico para incentivar o uso de produtos feitos de matérias-primas que causem menos impacto ao meio ambiente.

Emily Santos é aluna de Jornalismo, tem paixão por animais, pela natureza e por livros. Caçula de seis irmãos, criada na Bahia, ela retornou à metrópole paulistana para cursar faculdade e descobrir novos horizontes.