Um dos primeiros conceitos aprendidos na escola acerca das plantas está relacionado à sua forma de alimentação, feita através da fotossíntese. A fotossíntese é um processo realizado pela planta, onde ela obtém energia, realiza a respiração entre as células e produz os carboidratos necessários para realizar sua manutenção das paredes celulares.

De acordo com o especialista em Agricultura Orgânica Thiago Tadeu Campos, esse processo se utiliza diretamente da luz solar e é essencial para a vida da planta, contudo, tanto pelas alterações climáticas como por condições térmicas instáveis de diversas regiões, essa dependência do sol tem causado um desequilíbrio no sistema de produção agrícola, levando muitos produtores orgânicos e convencionais a buscarem maneiras de suprir as necessidades de sua plantação sem depender exclusivamente das condições naturais.

Um dos exemplos mais tradicionais de adaptação dos fatores naturais é a estufa, onde o agricultor pode regular luz, umidade, vento e temperatura. Ao ter o controle desses mecanismos, é possível produzir uma maior quantidade de plantas, e garantir que tais produtos tenham uma qualidade acima do comum, pois foram produzidos de forma monitorada, visando atingir o melhor que cada planta pudesse oferecer.

Iluminação artificial em espaços abertos

Como demonstrado no vídeo abaixo, a iluminação artificial não se limita aos locais fechados, podendo ser facilmente adaptada para campos abertos e grandes plantações. No vídeo vemos uma plantação de Áster que cresce com o auxílio da iluminação artificial, não sendo necessariamente em estufas ou dentro de casa, deixando clara a versatilidade da técnica de aprimoramento do plantio. 

Vantagens da iluminação artificial para as plantas

O uso da luz artificial faz com que o produtor possua um maior domínio sobre o crescimento de suas plantas, uma vez que cada espécie necessita de uma quantidade e intensidade de luz por dia. Além disso, algumas sessões do espectro luminoso auxiliam no crescimento de partes específicas da planta e o agricultor deve usar isso a seu favor.

Atualmente é possível encontrar diversos tipos de lâmpadas, inclusive algumas específicas para a instalação em iluminações artificiais na agricultura orgânica e convencional, que simulam os raios solares visando melhorar as características da plantação. Embora a luz solar seja uma grande riqueza para o produtor, quando em excesso pode causar danos graves para os cultivos, queimando e prejudicando diretamente a circulação de água pelos caules.

Com o uso de iluminação artificial, é possível regular a intensidade da luz e até mesmo a forma como ela atinge a folhagem. O uso de espelhos é recomendado para que a luz alcance a planta como um todo.

O manuseio adequado e com a devida orientação proporciona um aumento na produtividade, além de garantir uma melhora exponencial na qualidade dos produtos por evitar o uso de produtos químicos como soluções que visam amenizar os danos causados pelo sol. O uso da iluminação artificial em mudas e sementes também auxilia o desenvolvimento da agricultura orgânica brasileira, assim como o cultivo protegido e controle biológico.

DESCRICAO_AUTOR_THIAGO_TADEU_CAMPOS