Projeto Gaia leva fogão a álcool para comunidades de baixa renda
21 de Outubro de 2010 • Atualizado às 12h30

O fogão a álcool, conhecido como CleanCook, está inserido no Projeto Gaia, que visa oferecer aos usuários uma tecnologia alternativa, que utiliza combustível limpo e renovável, sem oferecer riscos à saúde. Além disso, o item contribui, sobretudo, com a diminuição da poluição doméstica.  O projeto piloto brasileiro, financiado pela Shell Foundation e Dometic AB, avaliou sua aceitação nas regiões urbanas e rurais de Minas Gerais e de todo o Brasil, de 2005 a 2006. O projeto também alcançou a Nigéria e a Etiópia.

A primeira fase do Gaia no Brasil aconteceu em Minas Gerais. O fogão foi testado durante sete meses com acompanhamento semanal da equipe do Projeto Gaia e os resultados foram: maior rapidez no cozimento dos alimentos, facilidade de manuseio e limpeza, segurança na utilização do fogão - pois não oferece risco de derrame do combustível nem de explosão -, possibilidade de comprar o álcool em pequenas quantidades, para as pessoas de baixa renda ou sem renda fixa, e baixo impacto ambiental.Esses fatores são considerados primordiais, já que a maioria das famílias que participaram do projeto utilizam lenhas para cozimento e sofriam com a falta de lenha ou proibição de sua coleta.

O benefício do projeto está associado ao preço que é potencialmente mais barato do que o gás liquefeito; a redução da dependência da lenha em comunidades mais carentes diminuindo a pressão sobre os recursos florestais e diminuindo também os riscos que a coleta da lenha oferece e a diminuição de emissão de gases de efeito estufa comparado à utilização do GLP.

O fogão, utilizado na Europa e América do Norte, foi redesenhado para ser produzido em larga escala e a baixo custo, e ser acessível às comunidades de baixa renda.

O CleanCook possui dois “queimadores” que podem ser regulados, permitindo ajustes no tempo de cozimento; dois tanques recarregáveis de combustível com capacidade para 1,2 litros de álcool caseiro. Dentro dos tanques existe uma fibra mineral que serve para absorver o álcool impedindo vazamentos e diminuindo riscos de acidentes.

Também é possível fazer um fogão “caseiro” movido a álcool. O método consiste em reutilizar as latas de alumínio usando técnicas de origami. O fogão artesanal é capaz de suportar o peso de uma panela pequena, cheia.

O fogão Cyclone é um  fogareiro ou espiriteira  a álcool muito popular nos campings japoneses.  Há muito tempo que os  construtores japoneses de fogão usam a arte do origami e equilíbrio em seus projetos.

O caimento e as dobras das latas são feitos de modo que elas sejam capazes de suportar o peso de uma panela pequena cheia. O designer do Cyclone é feito para que o ar fresco entre e gire em um turbilhão, e assim se misture com o álcool vaporizado. Dessa maneira traz calor, economizando energia.

Água ou pedras podem ser adicionados ao álcool para atrasar o processo de evaporação. É necessário, no entanto, haver equilíbrio é importante, se adicionar  muita água vai apagar as chamas, e não acrescentando o suficiente fará com que o álcool queime muito rápido.



Faça você mesmo

institucional capa | quem somos | cadastre-se | sugestão de pauta | como anunciar | contato
canais meio ambiente | tecnologia | arquitetura | mídia e negócios | desenvolvimento | vida sustentável | cidadania | bike | faça você mesmo | vídeos |

CicloVivo - Plantando notícias | Todos direitos reservados 2013.