Inicio Meio Ambiente Mineirão destina corretamente mais de 93 toneladas de lixo gerados no estádio

Meio Ambiente

Mineirão destina corretamente mais de 93 toneladas de lixo gerados no estádio

O “Plano de Gerenciamento de Resíduos” determina como será tratado todo o lixo gerado no estádio.

18 de maio de 2017 • Atualizado às 09 : 41

Lixo em dia de jogo no Mineirao. | Foto: Fred Magno / Agencia i7

Mineirão destina corretamente mais de 93 toneladas de lixo gerados no estádio
236
0

Desde julho de 2013, o Estádio Governador Magalhães Pinto já garantiu que cerca de 93 toneladas de resíduos gerados no estádio em dias de jogos e eventos deixassem de ser enviados para aterros sanitários. A iniciativa é graças a uma parceria firmada com a Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Materiais Reaproveitáveis de Belo Horizonte (Asmare).

O projeto desenvolvido pelo famoso estádio, conhecido como Mineirão, é chamado de “Gigante pela Natureza”. Por meio dele, na partida de maior público deste ano no estádio, o clássico Cruzeiro e Atlético, em fevereiro, foram reciclados 275 kg de metal, 254 kg de papel e 302 kg de plástico, material gerado pela presença de cerca de 40 mil torcedores. Somente em 2016, nas 54 partidas da temporada profissional de futebol, 32 toneladas de materiais que se tornariam lixo foram reciclados pelos catadores da Asmare.

O “Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos do Mineirão” determina como serão tratados os diferentes tipos de resíduos gerados no espaço. O material biodegradável procedente da manutenção do jardim e das podas do gramado e árvores vai para uma usina de compostagem, enquanto os recicláveis, como caixas de papelão, plástico e latinhas de alumínio são tratados em parceria com a Associação.

“Essa ação é pautada no tripé econômico, ambiental e social da sustentabilidade e contribui, por isso, com a reinserção da população de rua na vida cidadã”, afirma a analista Ambiental do Mineirão, Bárbara Freitas. A equipe de coleta de recicláveis no estádio é composta por 13 catadores que trabalham em dias de jogos e também realizando, nos dias seguintes, a triagem de todo o material, o que garante a destinação correta desses resíduos.

Práticas sustentáveis do Mineirão

Como uma instituição signatária da Rede Brasil do Pacto Global, o Mineirão adota em suas práticas premissas relacionadas aos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), da Organização das Nações Unidas. Esses objetivos são metas que a ONU pretende implementar em todos os países do mundo até 2030. As ações voltadas para o reaproveitamento de resíduo e a parceria com a Asmare se encaixam nos ODs ‘Energias Renováveis’, ‘Empregos Dignos e Crescimento Econômico’, ‘Redução das Desigualdades’, ‘Cidades e Comunidades Sustentáveis’, ‘Consumo Responsável’, ‘Combate às Mudanças Climáticas’ e ‘Vida sobre a Terra’.
A preocupação com o Meio Ambiente rendeu ao Mineirão o selo Platinum do Leadership in Energy and Environmental Design (LEED), a mais alta classificação no prêmio internacional que avalia projeto, construção, manutenção e operação de green buildings (‘prédios sustentáveis’). O Gigante da Pampulha é o único estádio do Brasil a alcançar este posto concedido pelo U. S. Green Building Council (USGBC). O estádio também fez bonito conquistando o Selo BH Sustentável, em junho de 2014, prêmio alcançado devido à eficiência na redução de 40% no consumo da água, redução de 39% no consumo da energia e reciclagem de 78% dos resíduos.

(236)

logo
Fechar
Abrir
logo