Inicio Desenvolvimento Madri tira metade dos carros das ruas para diminuir poluição

Desenvolvimento

Madri tira metade dos carros das ruas para diminuir poluição

Atualmente a cidade de Madri tem, em média, 3,2 milhões de habitantes e 1,8 milhões de carros.

3 de janeiro de 2017 • Atualizado às 15 : 08
Madri tira metade dos carros das ruas para diminuir poluição

Os carros com final par podem rodar apenas em dias pares e, os que têm finais ímpares, rodam nos dias ímpares. | Foto: iStock by Getty Images

577
0

A capital espanhola está aplicando um rodízio radical para reduzir a emissão de gases poluentes provenientes do transporte. Para diminuir a quantidade de carros nas ruas, a prefeitura local estabeleceu um sistema de rodízio em que os carros podem trafegar apenas em dias alternados.

Diferente do que acontece na cidade de São Paulo, por exemplo, em que a cada dia os automóveis com dois finais diferentes na numeração das placas são impedidos de trafegar, em Madri, os carros com final par podem rodar apenas em dias pares e, os que têm finais ímpares, rodam nos dias ímpares.

Outra diferença entre o modelo de rodízio espanhol e o aplicado em cidades brasileiras, é o período em que a proibição está vigente. A restrição vai desde as 5h30 da manhã até as 20h. No Brasil é comum que ela seja aplicada apenas nos horários de pico.

No entanto, a norma tem algumas exceções. Motos, carros híbridos e veículos transportando três pessoas ou mais são liberados do rodízio. O mesmo acontece para ônibus, táxis e carros de emergência.

Atualmente a cidade de Madri tem, em média, 3,2 milhões de habitantes e 1,8 milhões de carros, sendo a poluição atmosférica um problema recorrente no município. Com o rodízio, as condições do ar serão monitoradas diariamente, para que as autoridades possam avaliar a eficiência da medida e planejar adaptações, se necessárias.

Mesmo sendo criticada pelo partido de oposição, como sendo uma medida que pune a população, ao invés de oferecer soluções para o problema, a prefeita Marta Higuera, explica que a decisão tem interesse apenas em melhorar as condições de saúde local. “Não se trata de restrições de trânsito, mas sim da importante questão de saúde pública. Muitas pessoas sofrem problemas respiratórios e são muito afetadas pela poluição”, disse a prefeita, em informativo oficial.

Redação CicloVivo

(577)

logo
Fechar
Abrir
logo