Inicio Arquitetura & Design Artista britânico pinta chicletes em calçadas de Londres

Arquitetura & Design

Artista britânico pinta chicletes em calçadas de Londres

Para inglês Ben Wilson, os chicletes grudados nas calçadas são como telas que podem armazenar diversas obras de arte. O lixo e os resíduos depositados sempre incomodaram o artista, coletava materiais na rua para dar vida às suas criações.

20 de fevereiro de 2012 • Atualizado às 06 : 00

Artista britânico pinta chicletes em calçadas de Londres
2.48K
0

Para o artista inglês Ben Wilson, os chicletes grudados nas calçadas são como telas que podem armazenar diversas obras de arte. O lixo e os resíduos depositados em áreas urbanas sempre incomodaram Wilson, que por muitos anos coletou materiais na rua para dar vida às suas criações. Até que em 1998 ele começou a trabalhar com pinturas em chicletes.

A modalidade ganhou força em 2004, quando o artista decidiu se dedicar inteiramente a isso, com a proposta de revitalizar áreas cobertas pelas gomas de mascar e também incentivar a população a se conscientizar em prol de um maior cuidado com o ambiente que a cerca. A opção pelos chicletes também oferece a Wilson a liberdade que ele procurou por muito tempo, mas que não existia em museus e galerias.

Durante anos as autoridades de Londres tentaram acabar com os chicletes grudados nas ruas e calçadas. Foram feitos testes com jatos de alta pressão de vapor, produtos químicos e até mesmo uma solicitação aos fabricantes para mudarem a fórmula da fabricação das gomas de mascar, no entanto todas as tentativas foram em vão. A busca pela limpeza da cidade custou quatro milhões de libras, mas a solução surgiu apenas através dos pincéis de Wilson.

Apesar de ser uma expressão urbana, o artista se orgulha de fazer um trabalho que não pode ser considerado fora da lei, como ocorre com parte dos grafites, justamente pelo fato de não pintar o pavimento em si.

Os desenhos variam e são feitos, normalmente, por encomendas. Assim que as pessoas explicam o motivo do pedido, o artista começa a criar. Os mais comuns são homenagens de todos os tipos, que dão um colorido diferente ao cinza que domina a metrópole britânica. Segundo os amigos e pessoas que conhecem o trabalho de Wilson, as pinturas levam “muita alegria para muita gente”, conforme compartilhado por Peter Kyriacou, dono de uma loja de fotografias em Londres.

Para fazer a pintura é necessário ter um cuidado especial com o chiclete velho. Primeiro ele amolece a goma com um maçarico, depois passa três camas de tinta acrílica, para que seja possível começar a desenhar. Os pincéis são minúsculos, pois o trabalho é muito pequeno e detalhado. A secagem rápida é feita com um isqueiro e para finalizar a obra recebe uma camada de verniz. Assim, é possível que a pintura dure de seis a oito meses. A vida útil pode ser de anos, dependendo das condições climáticas e físicas do local.

Redação CicloVivo

(2484)

logo
Fechar
Abrir
logo