Inicio Vida Sustentável 12 segredos do médico japonês, que viveu 105 anos, para ter uma vida longa

Vida Sustentável

12 segredos do médico japonês, que viveu 105 anos, para ter uma vida longa

Cada pessoa é única e as doenças estão conectadas aos seus corações.

9 de agosto de 2017 • Atualizado às 10 : 39

Foto: Karsten Thormaehlen

12 segredos do médico japonês, que viveu 105 anos, para ter uma vida longa
7.66K
0

Em 2009, o médico Shigeaki Hinohara concedeu uma entrevista reveladora ao jornal Japan Times. Na época, ele tinha 97 anos de idade e era reconhecido por sua excelente saúde física e mental –, além de ainda estar trabalhando ativamente como médico e educador. Sem dúvidas, mais do que um profissional da saúde, sua própria vida era um exemplo de que seus conselhos deveriam ser ouvidos. Morto recentemente, aos 105 anos de idade, compartilhamos abaixo os ensinamentos que devem ajudar todos que querem viver muito e viver bem.

– Coma bem

“Todas as pessoas que vivem muito – independentemente da nacionalidade, raça ou gênero – compartilham uma coisa em comum: nenhunha tem excesso de peso. Para o café da manhã eu bebo café, um copo de leite e um pouco de suco de laranja com uma colher de azeite de oliva. O azeite é ótimo para as artérias e mantém minha pele saudável. O almoço é leite e alguns biscoitos, ou nada quando estou muito ocupado para comer. Nunca fico com fome porque me concentro no meu trabalho. No jantar, um pouco de peixe e arroz e, duas vezes por semana, 100 gramas de carne magra”.

– Não pegue atalhos

“Para se manter saudável, vá sempre pelas escadas e leve suas próprias coisas. Eu pego duas escadas por vez, para mover meus músculos”.

– Redescubra sua energia juvenil

“A energia vem de sentir-se bem, não de comer ou dormir muito. Todos nos lembramos que quando nos divertiamos na infância, muitas vezes, esqueciamos de comer ou dormir. Eu acredito que podemos manter essa atitude como adultos também. É melhor não cansar o corpo com muitas regras, como o almoço e a hora de dormir”.

– Se mantenha ocupado

“Sempre planeje com antecedência. O meu livro de agendamento já está cheio até 2014 [cinco anos à frente no momento], com palestras e meu trabalho hospitalar habitual. Em 2016, me divertirei muito: planejo assistir às Olimpíadas de Tóquio!”

– Construa uma ética de trabalho

“Não há necessidade de se aposentar, mas, se necessário, deve ser fazer após os 65. A idade atual de aposentadoria foi fixada em 65 anos há meio século atrás, quando a expectativa de vida média no Japão era de 68 anos. Hoje, as mulheres japonesas vivem em torno de 86 e os homens 80, e temos 36 mil centenários em nosso país. Em 20 anos, teremos cerca de 50 mil pessoas com mais de 100 anos. ”

– Continue a contribuir com a sociedade

“É maravilhoso viver muito tempo. Até os 60 anos é fácil trabalhar para a família e alcançar os objetivos. Mas em nossos últimos anos, devemos nos esforçar para contribuir com a sociedade. Desde os 65 anos, trabalho como voluntário. Eu ainda adiciono 18 horas em sete dias por semana e amo cada minuto disso”.

– Compartilhe seu conhecimento

“Compartilhe o que você conhece. Dou 150 palestras por ano, algumas para 100 crianças da escola primária, outras para 4.500 pessoas de negócios. Eu geralmente falo por 60 a 90 minutos, em pé, para ficar forte”.

– Entenda o valor dos diferentes conhecimentos

“A ciência sozinha não pode curar ou ajudar as pessoas. A ciência nos agrupa, mas a doença é individual. Cada pessoa é única, e as doenças estão conectadas aos seus corações. Para conhecer a doença e ajudar as pessoas, precisamos de artes visuais e não apenas médicas”.

– Confie no GUT

GUT é uma sigla para Gravidade, Urgência e Tendência. “Quando um médico recomenda que você faça um teste ou alguma cirurgia, pergunte a ele se quer que o cônjuge ou as crianças passem por esse procedimento. Ao contrário do que muitos acreditam, os médicos não podem curar a todos. Então, por que causar dor desnecessária com a cirurgia? Eu acho que música e terapia animal podem ajudar mais do que a maioria dos médicos imagina”.

– Resista ao materialismo

“Não fique louco por acumular coisas materiais. Lembre-se: você não sabe quando estará embaixo da terra e você não pode levar seus bens para o próximo lugar”.

– Busque inspirações

“Encontre um modelo e aponte para alcançar o que jamais imaginou que poderia fazer. Meu pai foi para os Estados Unidos em 1900 para estudar na Duke University, na Carolina do Norte. Ele foi um pioneiro e um dos meus heróis. Mais tarde, encontrei mais alguns guias de vida e, quando travo, me pergunto como eles lidariam com o problema. Minha inspiração é um poema de Robert Browning que diz para tentarmos desenhar um círculo tão grande que não existe nenhuma maneira de terminarmos enquanto estamos vivos. Tudo o que vemos é um arco, o resto está além da nossa visão”.

– Não subestime o poder do divertimento

“A dor é misteriosa e se divertir é a melhor maneira de esquecê-la. Se uma criança tiver uma dor de dente e você começa a brincar com ela, imediatamente ela esquece a dor. Os hospitais devem atender às necessidades básicas dos pacientes: todos queremos se divertir. No St. Luke (hospital que trabalhava), temos terapias de música e animais e aulas de arte”.

Então, se inspirou?

Redação CicloVivo

(7661)

logo
Fechar
Abrir
logo