Para o especialista em agricultura orgânica Thiago Tadeu Campos, foi a crise hídrica dos últimos anos que popularizou o sistema de cisternas não só no meio agrícola, como também em residências e espaços domésticos. A cisterna é uma forma sustentável de economizar a água encanada por meio da reutilização da água da chuva, que é coletada e armazenada em um ambiente fechado, livre de bactérias e de outros agentes externos até o momento do uso.

Em geral, as cisternas consistem em grandes recipientes enterrados que armazenam toda a água da chuva e, em seguida, direcionam-na para usos não potáveis, como mangueiras de jardins e vasos sanitários.   

Embora exista a possibilidade de colocar filtros e tornar a água da cisterna utilizável para cozinhas e chuveiros, recomenda-se o uso para tarefas cotidianas que não exigem água potável, como irrigar hortas orgânicas e jardins, lavar carros e calçadas e ser utilizada em descargas e torneiras externas. Além de garantir o reaproveitamento da água que seria escoada para ruas e bueiros, o sistema de cisternas garante economia em longo prazo, pois substitui o uso de água encanada no dia a dia.   

Compreendendo o funcionamento

Primeiramente, deve-se ressaltar que todas as cisternas devem seguir a Norma Brasileira Para Aproveitamento de Água da Chuva (NBR 15527). Essa norma garante a segurança da cisterna com o uso da água para fins não potáveis. Conversar com um profissional é a melhor maneira de escolher a cisterna ideal para sua residência, pois cada espaço possui uma demanda distinta. Em prédios comerciais, a coleta de água pode ser feita, por exemplo, através de telhados verdes, enquanto nas residências é possível captar boa parte da água da chuva apenas com a posição do telhado ideal, calhas, canos e dutos.

A cisterna funciona como uma caixa de armazenamento de água, que deve estar abaixo do solo para manter a água sem variação de temperatura e também evitar a contaminação por agentes externos. Em geral, as cisternas possuem um cano para a entrada da água, um cano para a saída e um cano chamado ladrão, o qual direciona o excesso de água para o solo, além de uma bomba que impulsiona a água para fora da cisterna.

Cada residência possui uma necessidade hídrica única, e cabe a um especialista determinar se sua residência necessita de uma cisterna de 10 mil litros ou se uma cisterna de 5 mil basta para atender à demanda de sua família. Em casos especiais, como pequenas casas, uma cisterna de 3 mil litros é o ideal.

O tanque da cisterna pode ser feito de diversos materiais, podendo também ser produzido em alvenaria. Os principais modelos são em plástico modular e fibra de vidro, materiais que não transmitem cheiro ou odor e ainda preservam a qualidade da água. A cisterna subterrânea deve ser bem planejada para evitar a entrada de animais e insetos, que contaminam a água e prejudicam a manutenção. Caso não haja espaço disponível para cavar e instalar sua cisterna, é possível encontrar modelos de cisternas verticais, desenvolvidas e indicadas para espaços limitados.

Faça da sua casa um espaço sustentável

Conversar com um especialista sobre o projeto é a melhor forma de encontrar a cisterna ideal, que combine sua demanda ao espaço físico disponível. Uma cisterna pode ser instalada em poucos dias e os resultados farão grande diferença nas contas ao final do mês. Para quem preza por um estilo de vida sustentável, a cisterna traz inúmeras vantagens aos moradores e principalmente ao meio ambiente, uma vez que evita o desperdício de água limpa e redireciona a água da chuva para o uso diário. Cuidar da natureza também é uma forma de prezar pelo bem-estar da sua família.

DESCRICAO_AUTOR_THIAGO_TADEU_CAMPOS