A UniPermacultura, espaço educativo dedicado a divulgar e descentralizar a ciência da permacultura, está organizando um mutirão na cidade de Planalto (RS) para reformar utilizando técnicas de bioconstrução a Aldeia Pinhalzinho, dos índios da etnia Kaingang. O objetivo da mobilização, que acontece durante o mês de outubro, é ajudar a restabelecer as tribos dos povos nativos do país, oferecendo os espaços para manter a cultura indígena viva.

A proposta é usar as ferramentas disponíveis na UniPermacultura para biorreformar o Centro Cultural e o Museu da Aldeia. Para conseguir realizar uma ação de sucesso, a organização da ação está aceitando voluntários de qualquer parte do país.

Fotos: Mariana Garcia

Índios Kaingang

Kaingang é um dos grupos indígenas mais populosos do Brasil, com uma população aproximada de 34 mil pessoas. Seu território já foi extenso, chegando a abranger até parte da província argentina de Misiones. Atualmente, as tribos desta etnia estão distribuídas pelos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Programa de voluntariado

A participação é gratuita e sem remuneração, e a alimentação é garantida para todos que se inscreverem pelo e-mail [email protected]. Os inscritos que quiserem também poderão acampar na Aldeia.

O mutirão vai começar no dia 12 de outubro e vai até 21 do mesmo mês. Outras informações e atualizações sobre a mobilização serão disponibilizadas no link do evento no facebook.

Sobre a UniPermacultura

Localizada na comunidade rural de Dom José, na cidade de Alpestre, Rio Grande do Sul, a UniPermacultura é um espaço educativo que dissemina a permacultura e seus benefícios no planejamento das atividades humanas.

O centro busca servir como modelo e museu de tecnologias sociais, com foco no desenvolvimento sustentável rural e urbano, bem como servir de laboratório para desenvolvimento de pesquisas, ensino e extensão rural e projetos ecocomunitários.

Com foco ecoempreendedor, a UniPermacultura é um local de fomento para formação de ecovilas, cooperativas de produção, desenvolvimento de novos produtos e tecnologias, pesquisa de novos mercados e atividades ecológicas produtivas.

Emily Santos é aluna de Jornalismo, tem paixão por animais, pela natureza e por livros. Caçula de seis irmãos, criada na Bahia, ela retornou à metrópole paulistana para cursar faculdade e descobrir novos horizontes.