Em uma das unidades de acolhimento de Maceió, capital de Alagoas, há dois meses e meio foi implantado uma horta. As crianças e adolescentes agora já colhem hortaliças sem agrotóxico do próprio quintal.

No espaço há mudas de coentro, alface, repolho, tomate, pimentão, berinjela e salsa. E, para colher, os meninos tiveram que aprender a cuidar muito bem da horta. Um dos adolescentes responsáveis é Julio Silva (nome fictício para proteger a integridade do jovem), de 15 anos. “Eu molho as plantas duas vezes ao dia. Vejo se tem algum inseto ou se tem folhas soltas. Eu cuido e ensino também meus colegas a cuidarem bem da horta.  Ajudei até a construir uma pequena horta em garrafas de plástico”, explica o menino.

Questão social

Segundo a assistente  social do abrigo, Danielly Silvestre, Julio é um adolescente muito organizado e ainda tem espírito de liderança. “Ele tem prazer em plantar e compartilhar. Dá gosto de ver o cuidado que ele tem com a horta. Sempre que vem um visitante aqui, ele presenteia com alguma hortaliça”, contou.

Para a secretária municipal de Assistência Social, Celiany Rocha, o interessante é que agora os meninos podem contribuir para uma alimentação mais saudável. “O cuidado deles com horta trará benefícios para todos. Além de que é uma ótima forma de ocupar o tempo com algo importante”, ressaltou.

Jornalista, social media e aparelhada para gostar de passarinhos. Tem interesse por mais assuntos do que é capaz de acompanhar. Aqui escreve sobre infinitas possibilidades de tornar o mundo um pouquinho melhor.