O Solar Impulse 2, avião totalmente movido a energia solar, completou nesta terça-feira (26) sua primeira volta ao mundo. A missão, que teve início em março de 2015, foi concluída com sucesso e cumprindo o seu principal objetivo: não gastar uma gota sequer de combustíveis fósseis.

Durante um ano e quatro meses os pilotos Bertrand Piccard e André Borschberg se revezaram no comando da aeronave solar. Foram dezessete voos, que somaram 23 dias no céu, passando por mais de 43 mil quilômetros e quebrando 19 recordes mundiais.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

No dia nove de março de 2015 o avião decolou pela primeira vez, saindo de Abu Dhabi para conquistar o mundo. Durante a expedição, a equipe fez questão de espalhar a consciência ambiental e a educação, além de provar que existem alternativas sustentáveis e viáveis para reduzir os impactos da aviação.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O fato de ter sido bem-sucedida não significa que a missão não teve contratempos. Em uma das viagens o avião precisou ficar parado por meses devido a um problema na bateria. Mas, isso não foi suficiente para minar a confiança e a expectativa dos pilotos e da equipe do Solar Impulse.

Após desembarcas do último voo, de volta a Abu Dhabi, o piloto Bertrand Piccard comentou a missão e falou das expectativas para o futuro. “Este não é apenas o primeiro da história da aviação, é, antes de tudo, o primeiro da história da energia. Tenho certeza de que dentro de dez anos nós vamos ver aviões elétricos que transportam 50 passageiros em voos curtos e médios. Mas, isso não é o bastante. As mesmas tecnologias limpas usadas no Solar Impulse poderiam ser implementadas em várias áreas da nossa vida diária para reduzir pela metade as emissões de CO2. O Solar Impulse é apenas o começo, agora iremos mais longe.”

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Clique aqui para mais informações.

Redação CicloVivo