A Fundação Getúlio Vargas está reunindo informações sobre a tecnologia “limpa” de todo o país. Segundo a organização, o mapeamento é parte de um estudo que busca compreender as startups e os modelos de negócios que poderão contribuir para alavancar mudanças no setor elétrico brasileiro.

Entender quais são as principais tecnologias disponíveis hoje, conhecer o perfil dos empreendedores e os modelos de financiamento são alguns dos objetivos do estudo. Ao fim, o grupo vai estruturar um “Observatório de Tecnologias Limpas”, que disponibilizará informações autorizadas para uso público.

“Os resultados serão subsídios para o desenvolvimento de políticas públicas […] no setor de tecnologias limpas no Brasil. O estudo também contribuirá para conectar grandes empresas e investidores a startups para dar escala às inovações”, afirma a FGV. A pesquisa está aberta até o dia 13 de setembro aqui.

Jornalista, social media e aparelhada para gostar de passarinhos. Tem interesse por mais assuntos do que é capaz de acompanhar. Aqui escreve sobre infinitas possibilidades de tornar o mundo um pouquinho melhor.