Facilitar o acesso a alimentos livres de ingredientes de origem animal ou sem o uso de agrotóxicos é o propósito do Projeto Vegânica, proposto por uma associação sem fins lucrativos da capital paulista. O propósito das empreendedoras Stela Silva, Ilza Lima e Sílvia Sakuma é ofertar produtos veganos e preferencialmente orgânicos a preços mais acessíveis do que os normalmente cobrados no comércio tradicional.

A ideia é atender consumidores que já adquirem esses tipos de produtos e poderão economizar na compra; os que têm interesse, mas ainda não consomem por acreditar que os preços são mais altos; adeptos e simpatizantes do veganismo; e pessoas que sofrem com algum tipo de alergia ou intolerância alimentar.

Para dar início ao Projeto e conseguir abrir o espaço no primeiro semestre deste ano, as idealizadoras se uniram em uma associação sem fins lucrativos e lançaram uma proposta de financiamento coletivo para garantir o pagamento das despesas iniciais e a primeira compra de produtos. Em contrapartida, as pessoas que investirem na ideia receberão recompensas de acordo com o valor escolhido.

Entre as recompensas estão cursos de produção de cosméticos naturais, de produtos de limpeza mais ecológicos, palestras sobre alimentação saudável, cestas com produtos veganos, entre outras. As informações completas sobre a proposta de financiamento e a lista de recompensas podem ser conferidas clicando aqui.

A intenção das três empreendedoras é fortalecer a economia local e inspirar outras pessoas a fazerem o mesmo em outros bairros de São Paulo ou em outras cidades.

Espaço integrado

Além da oferta de produtos orgânicos e veganos a preços mais acessíveis, o Projeto Vegânica deverá reunir, no mesmo espaço, comidas prontas, preparadas com os excedentes da feira de orgânicos; loja de artesanato, brechó, sebo de livros, salas para capacitação de microempreendedores, escritório compartilhado e espaço de recreação e lazer para crianças.

Sem sair do bairro, os clientes terão, dentro do espaço do Projeto, acesso à mercearia, com oferta de grãos, farináceos e sementes a preços compatíveis aos de grandes atacados que vendem produtos similares. Eles terão, ainda, a opção de delivery, com entrega feita por meio de bicicleta, para contribuir com a redução da emissão de gases de efeito estufa.

O espaço do Projeto Vegânica também está sendo pensado para sediar eventos culturais e de disseminação de informações sobre consumo consciente, alimentação saudável, veganismo, agricultura orgânica e outros assuntos ligados à sustentabilidade ambiental.

Preços acessíveis e transparência na prestação de contas

O modelo de negócio do Projeto Vegânica, baseado na economia colaborativa, consiste em ofertar produtos pelo mesmo preço pago aos produtores e fornecedores, exceto nos casos em que haja taxas de fretes ou diferenças tributárias em relação à origem das mercadorias. Tais taxas serão somadas ao custo do produto.

Esse custo terá acréscimo de cerca de 30% para financiar a cobertura das despesas totais do espaço, incluindo remuneração das idealizadoras do Projeto e funcionários. Nesse modelo, como não há previsão de lucro, em geral, os preços acabam ficando abaixo do que é ofertado no mercado tradicional.

Para garantir transparência dos valores cobrados no espaço, os consumidores terão acesso à prestação de contas mensal do fluxo de caixa do empreendimento. As informações serão disponibilizadas no local e na internet.

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.