O Mercado Livre vai incorporar embalagens produzidas  com material 100% biodegradável e compostável na operação logística de sua unidade de negócios Mercado Envios. A partir de outubro de 2018, um primeiro lote de quatro milhões dessas embalagens passará a ser utilizado na operação de Fulfillment e Crossdocking da empresa no Brasil e na Argentina. O investimento realizado para esta iniciativa é de 1,2 milhão de dólares.

Primeira do setor

O Mercado Livre é a primeira empresa do setor de e-commerce na América Latina a usar embalagens de bioplástico. A partir deste primeiro lote, a empresa avaliará os impactos da nova embalagem em suas operações. Além disso, contará com diversos certificadores locais especializados em bioplástico para validar o processo de produção.

“Este primeiro grande passo nos permitirá avaliar o impacto sobre a operação e a experiência de nossos usuários. Queremos impulsionar o desenvolvimento de fornecedores locais que ofereçam soluções de embalagens inovadoras, tanto para o Mercado Livre quanto para outros players do setor e empresas que fazem parte do ecossistema do e-commerce em geral”, afirma Stelleo Tolda, COO do Mercado Livre.

Impacto ambiental

O bioplástico permanece no ambiente apenas o tempo que os microorganismos levam para biodegradá-los. Ou seja, em um ambiente de compostagem industrial, isso ocorre em poucas semanas. Os plásticos convencionais, por outro lado, podem durar, facilmente, 500 anos. Além disso, a fabricação do bioplástico é livre de substâncias químicas ou suspeitas de causar danos à saúde.

O parceiro deste projeto é a Biop S.A, uma empresa argentina sediada em São Paulo, especializada no uso de bioplásticos. Os insumos utilizados possuem certificações internacionais.

Outras medidas e planos para o futuro

Entre as medidas sustentáveis já implantadas pelo Mercado Livre estão a gestão de resíduos, medição de pegada de carbono, investimento em energias renováveis em suas plantas, uso de papelão em envios mais frágeis e a capacitação dos vendedores da plataforma sobre como reduzir a embalagem dos seus produtos.

A empresa pretende seguir apostando neste caminho e em breve deve iniciar um programa piloto de carros elétricos em sua operação logística no Brasil e na Argentina.