Grande parte dos brasileiro andam preocupados com a conta de luz. Isso por causa dos reajustes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e das bandeiras tarifárias, que no mês de novembro, por exemplo, passou para vermelha patamar 2, com custo de R$ 5,00 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos.

Pensando em maneiras de ver os seus gastos reduzidos e ainda colaborar com o meio ambiente, a Live Diagnóstico, um laboratório referência em praticar o conceito de atendimento humanizado para pets, decidiu instalar um sistema de geração de energia por placas solares fotovoltaicas.

Segundo Stephânia Melo, veterinária e sócia da Live Diagnósticos, o laboratório instalou um sistema que conta com 110 painéis que geram juntos aproximadamente 110Kwh por dia. A conta de luz tinha um custo mensal de mais ou menos R$ 2.800,00 (isso sem considerar o cenário atual de bandeira vermelha patamar 2). Após a instalação, o centro de diagnósticos gera praticamente toda a energia que sonsome, mas ainda paga cerca de R$200,00 mensais, basicamente o valor referente a tarifa mínima obrigatória pela concessionária.

Apesar da economia, Stephânia ressalta que a maior motivação para a instalação do sistema no laboratório foi a preocupação com o meio ambiente. “Hoje, além de contarmos com as placas solares, possuímos também poço artesiano, registrado em órgão competente, buscando ser um Centro de Diagnóstico Veterinário ecológico”, disse ao CicloVivo.

O valor inicial investido foi de aproximadamente R$ 135.000,00 e eles preveem um retorno da quantia em seis anos. Vale ressaltar que uma placa solar tem durabilidade de aproximadamente 25 anos.

Redação CicloVivo

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.