Promover a disseminação do desenvolvimento sustentável por meio de ações com comunidades de baixa renda do Distrito Federal é a proposta do “Na Praia Social”, iniciativa que reúne crianças, adolescentes, adultos e pessoas portadoras de deficiência no espaço do “Na Praia”, parque temático montado anualmente na orla do Lago Paranoá, em Brasília (DF).

Com a ação, o evento fortalece a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e garante a inclusão social de diferentes grupos locais às atividades. O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apoia a iniciativa.

Neste ano, a expectativa é de que 850 pessoas dos Centros Olímpicos do DF participem do “Na Praia Social”. Ao longo do dia, os visitantes terão atividades esportivas, de educação socioambiental, bem-estar, dança e entretenimento. Nas ações, também são apresentados aos conceitos de sustentabilidade, dos ODS e da Agenda 2030.

“Nada existe sem um eixo de sustentabilidade. A integração com a comunidade é fundamental para o envolvimento de todas as partes em nossas operações. Na Praia Social é uma experiência imersiva em que trazemos pessoas que teoricamente não teriam condições de conhecer nosso evento”, disse o diretor de sustentabilidade da R2 Produções, Francisco Nilson.

“É uma ferramenta de democratização do acesso e inclusão social. Dessa forma, mostramos na prática que é possível termos ações sustentáveis, trabalhando em conjunto o tripé do desenvolvimento econômico, social e ambiental.”

Instituição parceira do projeto, a Fundação Assis Chateaubriand trabalha na gestão pedagógica das atividades desenvolvidas com os visitantes. “As ações são temas transversais da sustentabilidade, e nosso objetivo é unir as atividades com os ODS. Assim, criamos experiências de forma leve, com dinâmicas que propiciam a diversão e o conhecimento sobre a responsabilidade de todos agirem de forma integrada”, afirmou a superintendente executiva da fundação, Mariana Borges.

A concepção do “Na Praia Social” foi elaborada para garantir que todos os elementos do desenvolvimento sustentável sejam tratados de forma a gerar impacto positivo na comunidade, abordando, por meio de oficinas e entretenimento, ações que dialogam com o cumprimento dos ODS.

“Só teremos um desenvolvimento sustentável se todos os grupos da nossa sociedade forem envolvidos em uma agenda comum. Não podemos deixar ninguém para trás nessa caminhada para alcançarmos as metas dos ODS até 2030. O exemplo do Na Praia mostra que é possível a idealização de um evento que gere lucro e seja ambientalmente sustentável e inclusivo”, disse o assessor sênior do PNUD, Haroldo Machado Filho.

Essa é a quarta edição do “Na Praia Social”. Mais de 9 mil pessoas já participaram das atividades desde que a ação iniciou em 2015. Outra iniciativa que dialoga com o projeto é a doação de alimentos não perecíveis para organizações filantrópicas do DF. Somente neste ano, já foram coletadas mais de 80 toneladas, e a expectativa é de que 100 toneladas sejam arrecadadas até o final do evento, em setembro.

O “Na Praia” e o PNUD assinaram Memorando de Entendimento neste mês para promover atividades de disseminação dos ODS no evento. O foco é impulsionar todas as dimensões do desenvolvimento sustentável – econômica, ambiental e social, de forma integrada – e colaborar com a estratégia do evento de economizar 1 milhão de litros de água, reutilizar e reciclar os resíduos e difundir com os visitantes do evento informações sobre a Agenda 2030.

Via ONU Brasil