A Fundação SOS Mata Atlântica recebe currículos até 15 de julho para duas vagas de estágio em educação ambiental. Em um contrato de seis meses, os selecionados atuarão no projeto Aprendendo com a Mata Atlântica, em Itu (SP), com uma bolsa estágio de R$ 700,00. As vagas são para candidatos com disponibilidade imediata para o período da manhã (8h às 13h) ou à tarde (12h às 17h). Para participar, é obrigatório o preenchimento deste formulário e enviar currículo para [email protected]

Clique aqui para obter as informações completas da vaga.

Para os candidatos

Serão priorizados candidatos que residem em Itu e Salto ou municípios próximos e de fácil acesso (Porto Feliz, Indaiatuba, Sorocaba, Tietê, etc.). Para se inscrever, o interessado deve estar matriculado e frequentando regularmente o primeiro ou segundo anos do ensino superior nas áreas ambiental ou educação, além de ter 18 anos completos.

Os estagiários a serem admitidos obterão conhecimentos importantes para seu desenvolvimento educacional. Entre as atividades realizadas – com acompanhamento e auxílio dos técnicos do projeto – estão a elaboração de relatórios de atividades, a criação de roteiro de atividades de educação ambiental, além da participação em capacitações oferecidas pela ONG.

Espera-se do candidato o interesse em aprender com o auxílio da equipe para atuar no planejamento, execução e avaliação de estratégias socioeducativas voltadas aos diversos públicos beneficiados pelo projeto. Habilidades para condução de grupos em trilhas e áreas livres e aptidão a contribuir na organização e condução de eventos de mobilização comunitária e de articulação institucional são diferenciais.

Aprendendo com a Mata Atlântica

O projeto Aprendendo com a Mata Atlântica conta com apoio da HEINEKEN e é realizado no no Centro de Experimentos Florestais SOS Mata Atlântica – HEINEKEN Brasil. A iniciativa tem como objetivo contribuir para a promoção da cidadania, principalmente entre os jovens, e reforçar a importância do bioma Mata Atlântica e de políticas públicas para sua conservação. Lançado em 2010, o projeto já beneficiou mais de 48 mil pessoas com atividades de educação ambiental. No local, são realizadas diversas atividades lúdicas e interativas em ambientes, como a trilha interpretativa, jardim sensorial, centro de interpretação e viveiro de mudas nativas.