Com objetivo de discutir alternativas para alimentar o planeta inteiro, o chef Alex Atala e o produtor cultural Felipe Ribenboim, com a chancela do Instituto ATÁ, produzirão um evento inédito em São Paulo, com a presença de 30 personalidades dos ramos da sustentabilidade, ciência, gastronomia e representantes da indústria para debater estratégias sobre como levar alimento de qualidade a uma população mundial que pode chegar a 8,6 bilhões de pessoas em 2030, de acordo com a ONU.

Com data marcada para acontecer nos dias 26 e 27 de janeiro de 2018, o FRUTO receberá 300 convidados e será transmitido para o mundo inteiro pela internet pelo site http://fru.to. As discussões serão divididas em três grandes eixos: culturais, biológicos e sociais, temas que permearão as apresentações dos participantes. O seminário pretende consolidar o Brasil como principal celeiro dessa discussão, envolvendo todos os seus atores, de pequenos produtores à indústria de alimento, criadores de hortas urbanas a comunidades indígenas, antropólogos a agrônomos e engenheiros genéticos.

A escolha da capital paulista para a realização do evento não é mero acaso. O FRUTO percebe a cidade como um dos poucos centros mundiais que reúne esses diferentes protagonistas, com uma crescente oferta orgânica, projetos de hortas urbanas, organizações não-governamentais engajadas na questão alimentar, chefs de cozinha trazendo para mesa essa discussão, além de projetos voltados para a origem do alimento.

Conhecer um alimento é desvendar seus ingredientes, que carregam consigo uma história, um processo produtivo e tecnológico, relações culturais e interações sociais.

A programação completa pode ser encontrada aqui: http://fru.to/

Serviço
FRUTO | DIÁLOGOS DO ALIMENTO
Local: Unibes Cultural – Rua Oscar Freire, 2.500, Sumaré, São Paulo
Data: 26 e 27 de janeiro de 2018
Capacidade: 300 convidados
Transmissão: Ao vivo pela internet

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.