O escritório alemão de arquitetura Peter Ruge desenvolveu um projeto de Cidade Verde e Saudável para a província de Hainan, na China. A ideia possui uma abordagem inter-disciplinar e inter-cultural, com o intuito de oferecer qualidade de vida para a população ao mesmo tempo em que resgata a história do país.

O projeto é dividido em cinco bairros. Todos eles devem contar com estrutura médica, sistemas de produção de energia limpa e redes de transporte sustentáveis. Para complementar a estrutura, os arquitetos mantiveram os traços e o respeito pela identidade e história locais.

Conforme informado pelo ArchDaily, toda a área urbana foi planejada para minimizar o consumo energético e a pegada de carbono da construção. Para garantir que 70% da energia seja proveniente de fontes renováveis, o projeto conta com turbinas eólicas, células fotovoltaicas, biogás e sistemas inteligentes para a distribuição de água e energia.

Em termos de saúde, as centrais médicas serão equipadas e capazes de ajudar os pacientes em todo o processo clínico, fazendo desde a prevenção até a fase final de reabilitação. Os moradores também terão check-ups programados, cuidados específicos com os idosos e espaço para o desenvolvimento de pesquisas na área médica.

As facilidades aplicadas em uma cidade do futuro incluem: fácil acesso a ônibus elétricos, carros elétricos, serviços públicos de aluguel e empréstimo de bicicletas, além de possuir vasta rede ferroviária operada com emissão zero de gases de efeito estufa. Todos os veículos particulares movidos a combustíveis fósseis devem ser proibidos na província.

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.