A Yellow, primeira empresa de compartilhamento de bicicletas sem estações do Brasil, iniciou suas operações em São Paulo há menos de um mês e já obteve uma resposta positiva dos usuários. Nas duas primeiras semanas, foram realizadas mais de 40 mil corridas, resultado superior ao de outras cidades no mundo, logo no lançamento do serviço.

O projeto, que começou no dia 2 de agosto, nas regiões da Faria Lima, Itaim e Vila Olímpia com 500 bikes, já está com cerca de 2 mil bicicletas nas ruas de São Paulo. No mesmo período, a empresa também ampliou o número de pontos privados para estacionamento dos veículos. O plano da empresa prevê 20 mil bikes disponíveis na capital paulista ainda em 2018 e 100 mil em 2019. A startup já atua também com patinetes elétricas (saiba mais) e planeja expandir suas operações para outras cidades do Brasil ao longo do ano que vem.

“Já disseram que a Yellow é a startup que acredita no brasileiro. E os números e as experiências que temos vivido nesses primeiros dias de operação só comprovam que estamos certos ao fazer isso. Nas duas primeiras semanas, já foram realizadas mais de 40 mil corridas com as nossas bicicletas em São Paulo, número melhor do que o esperado e que ultrapassa benchmarks globais”, conta Eduardo Musa, CEO e cofundador da Yellow.

Ápices de uso das bikes Yellow já eram esperados nos períodos da manhã – entre 9 e 11 horas – e da tarde – entre 17 e 19 horas -, mas a empresa se surpreendeu positivamente com o uso do serviço também no horário do almoço – entre as 12 e as 14 horas. Outro dado interessante que já pode ser percebido é que quase 70% das pessoas que usam o serviço pela primeira vez, tornam-se usuários frequentes.

Furtos e vandalismo

A Yellow confirma alguns casos de vandalismos e furtos às bicicletas na cidade de São Paulo, mas ressalta que os números estão dentro do esperado e não alteram os planos e operações da empresa. Ainda lembra que, para evitar casos como estes, as suas bicicletas foram desenvolvidas com peças exclusivas, que não se adaptam a outros modelos. Além disso, todas as bicicletas Yellow são rastreadas por sistema GPS – o que já evitou episódios indesejados e ainda levou à recuperação de bicicletas e à apreensão de pessoas envolvidas nesses casos.

O diálogo da Yellow com as autoridades competentes, como as Polícias Civil e Militar e a Guarda Municipal, é muito próximo, assim como o trabalho com os ‘Guardiões Yellow’, que circulam todos os dias da semana pela cidade contribuindo para a melhor distribuição e posicionamento das bicicletas, além de apoiar usuários e garantir as boas práticas.

“Casos negativos são, claramente, exceções. Essas ocorrências têm sido abaixo do esperado em nosso planejamento. O que faz com que nada mude nos nossos planos e nas nossas operações. Pelo contrário: para cada foto ou ocorrência negativa, a gente tem milhares de pessoas usando bem o serviço e adotando a Yellow no seu dia a dia. Isso mostra que estamos no caminho certo e só aumenta o interesse em colocarmos um número ainda maior bicicletas para atender cada vez mais o público paulistano”, completa Musa.

Impacto positivo na cidade

Para garantir a melhor experiência para a população e para a cidade, a empresa inicia a operação com iniciativas de manutenção, organização do espaço físico e incentivo ao uso responsável. Uma das maiores equipes de rua do mundo para apoiar a população, os 70 ‘Guardiões Yellow’ circulam todos os dias da semana para mapear bicicletas, organizá-las, redistribuí-las estrategicamente e retirá-las para manutenção quando necessário, contribuindo, assim, para a melhor distribuição e posicionamento das bicicletas pela cidade, além de instruir os usuários.

“O propósito da Yellow é promover um impacto positivo na cidade, revolucionando a mobilidade urbana que conhecemos. Assim, chegamos a São Paulo de forma gradual e responsável, em conformidade com todas as legislações aplicáveis ao negócio. Como pioneiros no serviço, na escala e no investimento, estamos liderando e financiando iniciativas necessárias para um ambiente seguro, claro e regulamentado para o cidadão”, conclui Eduardo Musa.

Como usar Yellow

As bicicletas Yellow foram distribuídas no centro expandido da capital e estão disponíveis para alugar em qualquer lugar da cidade sem precisar estar presa a uma estação. As bicicletas têm rastreamento por GPS, o que vai facilitar o trabalho dos ‘Guardiões Yellow’. Após o uso, o usuário pode deixar a bike em qualquer lugar que não atrapalhe a circulação de pedestres e veículos e que seja visível para que outras pessoas possam encontrá-la.

5 passos para usar a Yellow:

  1.    Baixe o aplicativo da Yellow disponível para Android e IOS.
  2.    Encontre uma bicicleta Yellow na cidade.
  3.    Coloque créditos de R$ 5, 10, 20 ou 40 reais.
  4.    Com o aplicativo, leia o código de barras QR na parte de trás da bike Yellow: o cadeado inteligente abrirá automaticamente.
  5.    Ao terminar seu percurso pela ciclofaixa, ciclovia ou pelas ruas da cidade, estacione em qualquer lugar onde seja permitido o estacionamento de veículos e não atrapalhe o fluxo, e tranque o cadeado manualmente.

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.