Mais de 40 pallets que iriam para o lixo estão sendo transformados em móveis para os coworkings públicos da Prefeitura de Curitiba -, chamados de Worktibas. A ideia, desenvolvida pelo Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), é reaproveitar os pallets, plataformas brutas de transporte e armazenamento que sustentam as cargas de alimentos adquiridas pela Secretaria Municipal de Abastecimento (Smab).

A maioria dos pallets é feita de pinus ou de eucalipto reflorestado. Considerados descartáveis, não têm retorno para o local de origem e são geralmente desmontados e usados como lenha ou descartados como resíduo orgânico.

Trabalho em conjunto

O projeto de reaproveitar as estruturas surgiu após um estudo feito pelo Imap sobre móveis e equipamentos inservíveis ou subutilizados do município. Requalificados, poderiam voltar a servir às demandas públicas, em especial nos espaços de trabalho colaborativo do Worktiba. “Seguindo a orientação do prefeito Rafael Greca de fazer mais por menos, o Imap desenvolveu uma alternativa de baixo custo, sustentável e de alta resistência para equipar espaços públicos”, comenta o presidente do Imap, Alexandre Jarschel de Oliveira.

Após a doação dos pallets pela Smab e em conjunto com a marcenaria da Fundação de Ação Social (FAS), com o apoio logístico da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e a supervisão da arquiteta Cláudia Hirt Stachera, foram produzidos os novos móveis, em menos de dois dias de trabalho.

Do lixo para o coworking

As estruturas brutas seguem um processo simples de produção, que consiste em desmonte, corte, remontagem, parafusamento, pregagem, lixamento e impermeabilização, mantendo a aparência original da madeira que a compõem. A mesa central, que servirá de local de trabalho para os coworkers, tem a capacidade para atender até 12 pessoas sentadas, 240 centímetros de vão livre, infraestrutura para rede elétrica, capacidade de 150kg de equipamentos e tem durabilidade prevista de 20 anos.

Durabilidade e capacidade igual prevista para os bancos, cadeiras e estantes que estão sendo montados para uso interno. Já os móveis expostos ao tempo, a durabilidade é reduzida pela metade, por conta de fatores externos como sol, chuva e umidade.