As experiências de residências de concreto impressas em 3D mostram o quanto é possível usar esta tecnologia em larga escala. Uma construtora na Holanda já está inclusive projetando as primeiras casas habitáveis deste tipo. Próximo à cidade de Eindhoven, no sul dos Países Baixos, o vilarejo em Bosrijk será o primeiro a ser povoado com este modelo de habitação.

O projeto, chamado de Project Milestone, prevê inicialmente a construção de cinco residências. Ele é o primeiro programa de habitação comercial do mundo baseado em impressão de concreto 3D. A proposta é que cada casa atenda a todos os requisitos modernos de conforto e possam ser adquiridas por meio de uma empresa imobiliária. Ou seja, como qualquer residência tradicional.

Tecnologia

Por se tratar um bocal gigante de concreto, a impressora é capaz de construir casas dos mais diversos formatos. O braço robótico que molda o cimento da maneira que o arquiteto preferir. Por isso, cada uma terá uma forma e tamanho único, mostrando a flexibilidade da tecnologia.

Além do conceito futurista e design ecológico, cada residência terá particularidades. A ideia é que elas sejam construídas uma após a outra. Desta forma, os erros e acertos podem ser corrigidos ou levados adiante. Estrategicamente, foi escolhido um terreno bastante arborizado. Assim, os imóveis vão estar em harmonia com o ambiente ao redor.

Perspectivas para o 3D

O processo é mais simplificado do que os métodos de construção convencionais. Além disso, é possível manter os custos baixos e redução de impacto ambiental. Uma vez que a quantidade de cimento e transporte necessário é reduzida ao mínimo, sem desperdícios.

Além da construtora, o projeto é realizado em parceria com a Universidade de Tecnologia de Eindhoven e o Município de Eindhoven. Estima-se que primeira casa seja entregue ao primeiro habitante da casa futurista em 2019.

Imagens: Houben | Van Mierlo