No próximo domingo (4) acontece o Super Bowl, a final do Campeonato da Liga Nacional de Futebol Americano. E o estádio que terá a honra de sediar este evento tão importante é também um grande destaque. Ele é certificado com o LEED Gold, selo que está abaixo apenas do Platinum.

Localizado na cidade de Minneapolis, em Minnesota (EUA), umas das principais preocupações ao construir o estádio era de que ele precisava ter um bom aquecimento. Afinal, a região é a mais fria de todo o país. Para tanto, uma das inovações foi usar o teto chamado ETFE, que permite o aquecimento térmico por meio de luz solar e luz natural. Inspirado nos veleiros Viking, a cobertura ainda tem a particularidade de ser assimétrica.

Um vidro de alto desempenho também foi usado na construção para reduzir a necessidade de iluminação artificial. Além disso, a forma da estrutura do edifício otimiza a circulação de ar.

A construção ainda adotou técnicas para recuperação de calor, unidades de tratamento de ar, ventilação eficiente e motores de alta eficiência. Também a iluminação foi reduzida em 26% graças à instalação de iluminação LED. Tudo isso contribui para amenizar os custos de energia do prédio.

A eficiência energética do estádio é tamanha que são comprados créditos de energia renovável. Desta forma, o que não é alcançado por meio das tecnologias empregadas, é conseguido de outra forma. Isso garante que 100% de sua eletricidade seja compensada. O próximo passo é se tornar uma instalação de resíduos zero.

Certificação Gold

O LEED (Leadership in Energy and Environmental Design) é um sistema internacional de certificação e orientação ambiental para edificações, que tem o intuito de incentivar a transformação de projetos com foco na sustentabilidade de suas atuações. Entre os pré-requisitos para a obtenção do certificado está a redução do consumo de água e energia.