O constante desenvolvimento urbano faz com que as grandes cidades tenham cada vez menos espaço físico para acomodar seus habitantes. Esse fato tem intrigado arquitetos e urbanistas que buscam aliar espaço, segurança, conforto e natureza.

Os arquitetos Meir Lobaton e Kristjan Donaldson, mexicano e australiano respectivamente, se uniram em 2009 para elaborar uma torre residencial de 36 andares na Cidade do México. O projeto abordou o equilíbrio entre o desejo de viver em uma residência unifamiliar com o custo da terra.

A Torre Cuajimalpa, nome dado ao projeto, alia a vantagem de se viver em um apartamento, sem sacrificar o conforto de ter um quintal. Jardins localizados em todos os níveis proporcionam uma área que é atraente e funcional para os moradores.

Cada andar é organizado em torno de um único apartamento com 400 metros quadrados, com o acréscimo de uma extensão ajardinada de aproximadamente 160 metros quadrados.

A mudança no posicionamento dos andares fornece espaço adequado para as árvores crescerem e para a penetração da luz. Estes desníveis também equilibram o verde, criando uma mistura de estrutura urbana com natureza.

As áreas de estar internas são organizadas para tirar máximo partido dos jardins, que adicionam uma sensação de liberdade para as residências.

Devido à condição volátil sísmica que caracteriza a Cidade do México, um sistema de paredes de fundo e treliças estabiliza a estrutura, enquanto acomoda as lajes dos apartamentos.

Informações de Kristjan Donaldson.

Redação CicloVivo

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.